quinta-feira, 20 de novembro de 2008

outono à janela


em cascata caem as vermelhas,
cachoeira viva de mortas folhas
as amarelas, mais leves,
deixam-se levar,
voltear e valsear
pelo vento,
vigoroso elemento,
caprichoso, dengoso
que tanto gosta de as namorar
as verdes, resistentes, teimosas
agarram-se à vida para não voar
não antes do tempo,
mesmo que o vento
as teime em arrancar
inertes ficam as castanhas,
que estalam ao pisar,
morreram de velhas,
cobrem chão e telhas
despediram-se das novas
deram o lugar
como o outono ao inverno
quando ele chegar

26 comentários:

Patti disse...

Humm, a minha estação preferida!
Linda ela e adoro o estalar debaixo dos pés.
Ao pé de minha casa, começam agora a acordar aquelas heras e árvores de encarnado vivo e ainda lá as vou fotografar.

Muito bonitas a sua visão do Outono, mas já sei de dois que ficam enjoadinhos com a esta estação, não é padrinhos da Si?

Vekiki disse...

Lindo Si!!!
Bjs

Antonio saramago disse...

Outono despe as árvores
Inverno queima o que há de verde
mas a Primavera tem o poder de tudo fazer renascer.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma excelente ode ao Outono. Pena que nem com este sol o Outono me aqueça a alma!
PS:Em relação ao seu comentário lá no CR: Tenho reparado... qualquer dia, se a D. Milú sabe, chumba-a por faltas

pedro oliveira disse...

a estação mais bonita do ano e está muito bem descrita nestas palavras.
Um dia destes passe por lá.
PO
vilaforte

Miepeee disse...

Em Portugal ainda ha Outono, aqui ja se foi embora...brrrrrr que frio.
Beijinho.

pedro oliveira disse...

Obrigado pela visita e como é seu hábito pelo excelente contributo para a discussão.
Po
Vilaforte

1/4 de Fada disse...

Adoro o Outono, apesar de ser uma estação tão mal amada! Só não gosto de anoitecer tão cedo, mas não me ralo nada com o frio, gosto dos imensos dias lindos que há, das roupas que podemos vestir contra ele, ou não fosse eu digna representante do sexo feminino. E o chocolate quente, as chávenas de chá com bolachinhas ou scones, as castanhas... a lareira acesa, há montes de coisas maravilhosas no Outono e no Inverno. E a luminosidade especial de alguns dias de sol?

Victor Cardoso disse...

O outono abraça a natureza e despe-a, todos os anos como se fosse a última vez. A vontade prevalece num desejo de amor, num parto sem dor, calmo e demorado.
O outono é o pai, o inverno a mãe que há-de parir tudo outra vez, quando março vier.
Bonito este quadro de cor e onde, depois de ler, nos imaginamos sentados no banco de jardim maravilhados com o rodopio dos sentimentos.

Si disse...

Vizinhança:

O Victor Cardoso foi o verdadeiro culpado da minha entrada na blogosfera. Esteve uns tempos parado e agora regressou.

Quem se quiser vingar dele por agora terem que me aturar, faça o favor de apresentar queixa no:

gostodetiassim.blogspot.com

Depois de encherem o livro de reclamações, eu encarregar-me-ei, pessoalmente, de o levar à ASAE, ok??

'Bora lá???

de dentro pra fora.... disse...

Muito bonito o teu poema, chega a dar uma certa graça ao Outono do qual não sou propriamente fã..
Beijinho

Gi disse...

E os belos trambolhões a ques tamos sujeitos porque estas malvadas vêm dar trabalho ao pessoal camarário que, obivimente, precisam de um decreto que os mande limpar as ruas!

Si disse...

Patti,
Não é a minha estação preferida em termos de tempo, mais pela chuva e pelo vento do que pelo frio, que esse gosto, em dias de sol. Mas é pelas cores. Nisso o Outono é imbatível.

Si disse...

Vekiki,
Obrigado.
Beijinhos

Si disse...

António,
E então essa veia de poeta não aparece lá no seu blog?

Si disse...

Carlos,
Friozinho está que chegue, sim, mas não acredito que seja o suficiente para lhe arrefecer a alma.
Quando lhe dá a gana de escrever, até lhe sai fumo!
E então quando há discussão em cima da mesa?? Dá-lhe cá uns calores....!!
rsrsrsrrs

Si disse...

Pedro,
Obrigado.
E foi um prazer visitar o seu espaço, mais uma vez, embora o costume fazer em silêncio.
Fiquei sensibilizada pelo convite e pelas palavras.

Si disse...

Miepeee,
O Outono aqui está lindo, sem chuva, mas com muito, muito frio também.
O que vale são estas nossas casas, sempre tão cheias de gente, para nos aquecer 'a alma', como diz o Carlos.
Beijinhos

Si disse...

Fada,
Já o disse várias vezes: nesta minha casa, a chaleira está sempre ao lume, as ervas prontas para ebulir, os bancos ao pé da janela, para disfrutar destes raios de sol e da vista pelo Bairro.
Sente-se e disfrute, deste calorzinho, sim, vizinha??

Si disse...

Victor,
A sua cara não me é estranha, tenho a impressão que o conheço de algum lado, hummmmmm, deixa lá ver, deixa lá ver.....ahhhhhh, já me lembro!! É o vizinho que deixou de pagar o aluguer lá do estaminé e agora voltou!!
rrsrsrsrsr

P.S. Não te arrependas, 'óbistes'??

Si disse...

De dentro pra fora,
São as cores, vizinha, são as cores!!
Beijinhos

Si disse...

Gi,
Por acaso ainda não me aconteceu, mas olhe que nesta altura nem me importo muito que as ruas estejam assim, é tudo biodegradável!!

BlueVelvet disse...

Ó afilhada do meu coração, então onde está o meu comentário?
Juro que deixei. Eu seja ceguinha:)
Então eu ia lá deixar de comentar uma beleza destas.
Faça favor de procurar bem. Se calhar fui parar ao lixo
Beijinhos de mim para Si

Filoxera disse...

Tudo lindo, palavras e imagem. Esta, tem umas cores que prendem...
Beijinhos.

Si disse...

Velvet,
Comentadora residente tem que picar ponto na mesma, rsrsrsr
Mas por acaso não chegou, nem por mail, nem no blog.
Obrigada, madrinha
Beijinhos azuis

Si disse...

Filoxera,
Bom, bom é prender os amigos à volta desta janela e olhar lá para fora enquanto do bule vai saindo, a fumegar, o chá com que brindo esta reunião de outono.
Beijinhos e obrigada