terça-feira, 7 de abril de 2009

pecados pascais


Na sua cátedra entronizada, vestindo a alvura de tecidos abençoados, uma alma que dizem impoluta, escrevia um texto carregado de pormenores, pensado para, no Domingo seguinte, atentar o seu rebanho contra as investidas pecaminosas de um diabólico tentador sempre à espreita. E começava, dizendo:

Sabei, meus filhos, que ele, cujo nome não pronunciarei, está no meio de nós, nunca se sabendo que forma irá tomar de seguida.
Se o tomardes nas mãos, derreter-se-à ao toque, à temperatura da pele que marque apenas 36,5º; se o provardes, terá sempre um sabor delicado, alicorado ou trufado, podendo ainda ser amargo ou dulcíssimo; se o olhardes de frente, poderá ser negro, branco ou cor de leite, deleitando as papilas gustativas de permeio, que cedem, desmaiando a resistência do saber e do saboreado.
Pecado mortal, este, de luxúrias apaladadas, que se espalha em tentações variadas, cobrindo a sua nudez escandalosa com coberturas inocentes, na expectativa de exultar sensualidades impróprias, excitar gostos, provocar sensações, permitir proibidos, tal é o perigo.
E se a vossa alma está insegura, o vosso cérebro, esse, poderá ser o primeiro a deixar-se sucumbir a este fatal abismo: recaptador de serotoninas, libertador de endorfinas, a todo o momento explode volúpias equatoriais, em aromas intensos, solidamente encarcerados nas texturas que os homens mal intencionados inventam, ora lhe juntando um toque de café, ora o cruzando com caramelos, ora o deixando correr, livre e inconsequente, num rio, que nuvens brancas e firmes tornaram fofo e aveludado, para cair em taças incautas repletas de seixos amendoados.
Não refuteis estes avisos, meus filhos, que o Salvador não perderá a esperança em nenhum de vós, enquanto lutardes com a força das almas puras e a castidade de sabores profanos.
Que assim seja.

E pousando o aparo com que escrevia, segurou entre os dedos um 'Mon Chérie', que derreteu na língua, murmurando: Méa culpa, méa máxima culpa.

24 comentários:

BlueVelvet disse...

Eu ontem a ameaçar quem me oferecesse um Ferrero Rocher e hoje vem-me com um Mon Chéri.Ganda malandra.
O texto está verdadeiramente delicioso e fiquei com serotonina de reserva até sábado:)
Domingo ataco as amêndoas.
Beijinhos de mim para Si

Antonio saramago disse...

MORTE, TRISTEZA, RESSURREIÇÃO, FESTAS, de tudo isto é feita a quadra PASCAL pena é que nem tudo talvez possa ser verdade!
Eu como crente que sou, acredito na maioria das coisas que foram escritas sobre CRISTO, mas não tenho matéria para conseguir manter um diálogo aprofundado sobre o assunto.
Condeno no entanto todas as pessoas que garantem tudo não passar de uma mentira.
Como estamos em Semana SANTA, vamos lá tentar seguir as tradições CRISTÃS!!

pedro oliveira disse...

Sabes o que é um mon chérie xl?
eu explico,vais a Óbidos pedes um copinho de chocolate e uma ginjinha, bebes a ginjinha,pedes outra e no fim de beberes a segunda, comes o copinho.Valeu?

Gi disse...

Ma chérie, o que vale é que há coisas que me não tentam. Mon chéri é um deles. ;)

paulofski disse...

Venham de lá os poliálcoois, recheados de textura voluptuosa. Afrodisíacas sensações, os amargos de boca dos flavonóides não pesarão a consciência. Preto, escuro, carregadinho de polifenóis, pura degustação, todos no coração. Bem estar com a metilxantina, o prazes sensual e a euforia da fenilfetilamina, apaixonar pela teobromina e, não apenas na Páscoa, pecar com moderação.

Patti disse...

Como eu compreendo o senhor...eu é às caixas deles.

Pitanga Doce disse...

Um dos filmes que mais gosto de ver e rever é Chocolate em que o Prefeito da cidade proibia todos de comerem chocolate por ser afrodisíaco.
Devo declarar que Mon Chérie não há como resistir e a descrição do Pedro Oliveira é fiel, mas se calhar sai mais caro ir a Óbidos do que ir ao Pingo Doce. hehe

PS: Mas que a opção de ginja com o copinho de chocolate é tentadora, ah isso é!

beijos Si

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Foi então que chegou o Ambrósio e ela disse:
-Apetece-me algo...
Dessa vez, o Ambrósio não tinha Ferrero Rocher

Patti disse...

Ambrósio? Quem é esse? Não me digam que agora lá na ‘naçâue’ também chamam ambrósios aos mon chéries?

Oh Blue, anda cá filha que eles não tarda estão a pedir a independência; ele é dialectos, hinos, bandeiras e agora ambrósios, vê lá tu bem!

Si disse...

Ó Madrinhas, não se encanitem que o Padrinho deve estar ainda sob o efeito da cruzeta...perdão...cruzADA, que iniciou para melhor se entender o verdadeiro português!

Até arranjou uma 'ela' para chamar o Ambrósio a um padre......

Patti disse...

Eu e a Blue, já lhe damos as cruzadas, os estrangeirismos e os bairrismos, não é Blue?

Humpf!

Pitanga Doce disse...

Mas quando foi que começou a guerra pelo objeto onde penduram-se vestidos, camisas e afins? Aqui chama-se cabide, sim senhora, e cabideiro o de pé, onde penduram-se as roupas que acabamos de tirar, as bolsas, o robe que vestimos para ir atender ao padeiro (hehehehehe).

Já nas Beiras chamavam cruzeta e eu ficava a procurar o formato da cruz. Isto vai dar "pano pras mangas", para pendurar no cabide. hehehhehehehehehe

Patti disse...

Ahahahahahah, o blogobairro é fantástico. Salta-se de um post do 'outro' para o post 'desta' num ápice!

Vá lá, uma visigoda que diz cabide...

Si disse...

Fale lá baixinho, Sra. PresidentA, não se amofine, que têm sido os 'visigodos' a sustentar-lhe o saquinho azul. Não fora a diligência 'desta' na cobrança de multas do 'outro' e as férias na Tanzânia ainda seriam uma miragem...

(e por falar nisso, veja lá se não se esquece dos diamantezinhos-bébé que me prometeu, a mim e à dótôra Velvet, que inda estamos a ver navios.....)

Patti disse...

Olhe Madame, não 'tá a ver o joguinho da 'boila', não?
Pois o seu padrinho deve estar coladinho ao ecrã, a beber finos e a descascar tremoços, como um bom adepto e a gritar impropérios com sotaque!

Eu estava aqui 'sogadita' a preparar o meu post de amanhã (Oh Pitanga tens de ver, que é um post directamente do Rio), mas sabe onde eu vou agora, sabe?
Vou ver dois episódios seguinhos do meu Jack Bauer no canal da Fox e depois só volto lá pelas 23.30!
Ok?

E o meu saquinho azul, encheu-o proventura mais hoje, na minha ausência, ou andou a esbanjar tudo nos 'chiclates'?

Si disse...

Gooooooooooooooooooooollllllllllllooooooooooooooo!!!!!!!!!!!!

Nha, nha, nha, nha, nha!!!

Patti disse...

Santinho! Engasgou-se?
Ou isso são dialectos du pubãoe cúándo bê a boila?

Afinal o Jack é só amanhã, agora é o "Closer", fui.

BlueVelvet disse...

Algo me disse que tinha que vir aqui.
Já vi que tenho que pôr ordem nisto.
1º É bom respeitar as hierarquias, e PresidentA é PresidentA.
2ºAinda ontem avisei lá minha casa que não queria nem Ambrósios nem mon chéris, portanto o intuito do Sr. Barbosa só pode ser provocar-me.
3ºPara além disso o Dicionário do dito senhor não foi aprovado por nenhum especialista de língua portuguesa.
4ºÉ bom não esquecer que as melhores alfaces são nossas. Lá em cima, quando muito tripas. Será que as penduram em cruzetas?
E não me puxem pela língua que ainda o deporto lá para cima.

Si disse...

DE-PORTEMOS, DE-PORTEMOS, QUE O FÊQUÊPÊ FEZ UM 'GANDA JOGO, CANUDO!!.............................................................

Agora que já desabafei, já posso recuperar a postura e informar os presentes e os ausentes que:
- O Dicionário do Rochedo é um documento de importância vital para o enriquecimento cultural dos povos abaixo do Tejo, pese embora alguma distracção do seu autor quando lê os posts desta casa e tenha arranjado uma Ambrósia...
- As multas, continuam a ser rigorosamente aplicadas e cobradas, para ver se consigo gerir o orçamento deste condomínio de luxo, já que, desde a sessão do tribunal que não entrava um tostão, deixando à vista de todos um buraco tão grande, que até o tentei esconder atrás das raízes duma Pitangueira.
- Hoje, não é dia de 'Closer', mas de 'Tilt', que nunca vi, porque prefiro a 'Anatomia de Grey', por isso, Sra. PresidentA, faça o favor de não fazer de conta que foi lá para essas bandas da Funtastic Life, só para não responder ao paradeiro dos diamantes, sim??????
(Eu bem lhe mandei o ramo para ver se vinham no folar, mas também se fez desentendida...)

Patti disse...

É Closer sim SInhora, às 22.15 na Fox Crime!

Ai o Canudo, abaixo do Tejo óbvio, que é muito mais chic, 'tá a ver?

Si disse...

Não 'tou a ver, não...e esse é que é o problema....
Nem um diamantezinho para amostra..., pois não Madrinha Velvet????

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desculpe lá Si, só cheguei agora porque estive a ver o ganda jogão do nosso clube. ( Sem cerveja nem tremoços, que eu sou portista e tenho bom gosto. Não me confunda a PresidentA com o Barbas,nem com o fabricante de pneus que rolam por essas estradas cheios de "conteúdo". Adiante...)
Já agora, lá porque o Porto fez um grande jogo, não é razão para a Presidenta e a Blue perderem o "fair-play". A inveja é muito feia e escusam de andar a acicatar os vizinhos contra mim, tá? se não sabem quem é o Ambrósio, paciência, improvisem a vossa cultura

Obrigado, Si, por reconhecer a importância do meu Dicionário.

Pitanga: Creio que nunca foi lá ao meu Rochedo, por isso é que desconhece este dicionário e a cena da Cruzeta e do Cabide...

Desculpe o espaço que lhe tomei, Si, mas como estamos na Quaresma devo estar perdoado. Boa Páscoa

BlueVelvet disse...

Dona Si,
desculpe mas tenho que responder ao Sr. Barbosa:
A defesa da minha PresidentA não tem nada a ver com fair-play. Eu nem sabia que o seu clube jogava hoje. Nem sequer estava em casa, portanto levantou um falso testemunho contra mim e caluniou-me, crimes ambos previstos no CP.
A PresidentA se encarregará de estipular qual a pena remível em dinheiro que terá que pagar.
Quanto ao dicionário vai de mal a pior:
Ambrósia ou Ambrósio é, segundo a mitologia grega um manjar dos deuses do Olimpo.
Era tão poderoso que se um mortal a comesse, ganharia a imortalidade.
Conta a história que, quando os deuses o ofereciam a algum humano, este, ao experimentá-lo, sentia uma sensação de extrema felicidade.
O nome Ambrósio, que vem da mesma raiz, significa divino e imortal.
É também o nome de um doce de origem ibérica, popular também no interior do Brasil, feito de leite, ovos e açucar, portanto, nada tem a ver com o Dicionário de termos do Norte.
Não queria mais nada???
Quanto aos diamantes estou certa que os receberemos dentro de um ovo de Páscoa.

Luísa disse...

É também a minha irresistível tentação, Si, e não deixa de me impor algumas pequenas «penitências». Aprecio-o em qualquer formato. Até no formato papel! O último número da revista «Cooking» (passo a publicidade) tem um conjunto de páginas dedicadas ao «pecado do mês/chocolate», que são de arrepiar. Estou agora mesmo a folheá-las e… lá vou eu ao frigorífico ver se sustenho este reflexo pavloviano. Até já. ;-D