quarta-feira, 25 de março de 2009

maçãs com canela



Tecnicamente ele nunca a beijou, porque foi um beijo técnico, durante as gravações de mais um episódio de 'Maçãs com Canela', que durava já há três anos na Rádio Éfeéme. E fazia parte do guião, ele, o Teotónio e ela a Maria de Lurdes, serem o motorista e a criada de servir, que mantinham um relacionamento secreto, porque os patrões de ambos, eram rivais na produção de maçãs reinetas, que eram as melhores para assar no forno, bem espetadas a meio com um pau de canela e regadas generosamente de calda de açúcar.
A história que viviam, durante 30 minutos, de segunda a sexta feira, contava, portanto, o dia a dia de duas famílias transmontanas, emigradas para o deslumbre da Capital, e das intrigas que alimentavam a competição do negócio das maçãs, tão cheias de veneno pesticida sem, porém, matar o bicho que as roía. E nem convinha. Quanto mais intrigas houvesse, maior a audiência, e quanto maior a audiência, mais satisfeito ficava o Sr. Martins, dono da mais importante casa de alfaias agrícolas da zona, que patrocinava a radio-novela já lá iam seis meses.
Ora, fica aqui mais do que evidente, que, não sendo Teotónio e Maria de Lurdes namorados na vida real, o facto é que, de segunda a sexta feira, durante 30 minutos, fartavam-se de marmelar, já que sobre eles caía a responsabilidade de fazer o elo de ligação entre as duas famílias, no leva e traz dos pormenores pegajosos. Sendo certo que todos muito gostavam das personagens, Teotónio e Maria de Lurdes, também a ninguém esquecia, naquela terra, que o Teotónio tinha uma Josefina e a Maria de Lurdes um Agostinho, que ficavam de fora da compota, de segunda a sexta feira, durante 30 minutos, mais os preparativos e ensaios prévios.
Pois, no dia do 785º episódio da sequência, a panela tombou, deixando sair em espuma fervente, o caldinho que se tinha entornado durante os últimos 30 minutos. É que mesmo sendo um beijo técnico, e, que portanto, Teotónio e Maria de Lurdes, tecnicamente nunca se tenham beijado, Agostinho ficou com a fúria em ponto de rebuçado, dirigindo-se à sede da Rádio Éfeéme com um pau de marmeleiro, pronto a entrar em acção, no que foi secundado pela Josefina, armada de uma sertã de ferro forjado.
Com a aldeia em suspenso e a perspectiva de se acabar uma novela em tragédia, valeu a intervenção do Sr. Martins, cujo negócio em franca expansão, permitiu chamar à razão Agostinho e Josefina, com uma oferta de sociedade na empresa de alfaias agrícolas, desde que ambos permitissem o namoro técnico de Teotónio e Maria de Lurdes, que, para segurança de todos, passaram a gravar, em dias separados, as suas deixas.
Celebram hoje o 1000º episódio, com o nascimento do filho bastardo de Teotónio e Maria de Lurdes, precisamente no dia em que a Casa de Alfaias Agrícolas Martins, Agostinho, Josefina e Filhos, Lda. abriu mais uma dependência, lá para os lados da Capital, com reportagem em directo para a Rádio Éfeéme.

11 comentários:

salvoconduto disse...

Eu sempre suspeitei da Maria de Lurdes só que nunca imaginei que ela andasse metida com o Teotónio. Nunca me enganou com aquele ar de sonsa...

Bem, estiveram Agostinho e Josefina, porque quem não se sente não é filho de boa gente. Já há um tempo que o Agostinho andava a queixar-se que lhe doía a cabeça, dizia ele que até parecia que estava a inchar, tava tava...

Faz-me lembrar aquela peça de teatro levada ao palco no Sá da Bandeira. Numa das cenas era suposto também um beijo técnico entre o Armando e a Isolina. Estava eles a tentarem representar na na perfeição quando a luz do Sá da Bandeira falhou e demorou alguns minutos. Quando a luz veio, rapidamente o Armando levou a mão ao bolso esquerdo das calças, do silêncio da plateia saiu uma voz esganiçada: "não lhe mexas Armando, não lhe mexas que ainda é pior!"

Culpa tem a vizinha de trazer para aqui para o bairro estas coisas de tele-novelas misturadas com maçãs reinetas.

BlueVelvet disse...

Pois eu sempre desconfiei desta coisa dos beijos técnicos.Ó pra mim a beijar o Richard Gere ou o George Clooney, tecnicamente.
Eu iria era fazer uso de toda a minha técnica para ver se eles não me esqueciam:)
Enfim, qualquer um é livre de sonhar.
Adiante.
Bela solução que se arranjou para a confusão. Nada que uma sociedadezita não resolva.
Beijinhos de mim para Si

Gi disse...

Tecnicamente, claro, as maçãs afinal eram marmelos?
AO filhinho bastardo ter-lhe ão dado o nome de Adão?
Terá ele logo nascido com a maçã?

Não percam os próximos capítulos na Rádio SIdade.

Patti disse...

Oh benzósDeus, ainda bem que não se acabou a novela.
Depois daqueles romances do Tide, nunca houve uma tão linda como esta do Teotónio e da Maria de Lurdes, aqui na aldeia.

Mas esta novela não passa antes na rádio aême?

Vekiki disse...

Ai os beijos técnicos...têm tanto que se lhe diga...eu estou com a Velvet...para beijar "tecnicamente" iria escolher um Sr. que ontem andou metido num 31 ;)!
Será que este 1000º episódio foi para fazer concorrência ao meu 1000º post? se assim foi, ganhou a Si!!!

Pitanga Doce disse...

Mas ó Si, se eles passaram a gravar a "marmelada" em dias separados como é que faziam o barulho dos beijos para os rádio- ouvintes se deleitarem com tamanha "descaração"?

Si disse...

Pitanga,
Isso é primazia da rádio. As imagens que transmite são apenas e só aquelas que cada um forma na sua cabeça.....
(E dépoiss, beijo que é beijo tem 'bairulho', Dona Pitanga?? 'ara, 'ocê tem cada 'piargunta', 'visse??...)

paulofski disse...

E a rádio-novela fica assim em suspense, cadê o final com as cenas dos próximos capítulos?

Si disse...

Paulo,
Sabe aquela coisa que anda a imitar a minha radio-novela, que anda num canal de TV(i) já há não sei quantos anos e que também resolveu temperar frutos???
Ora veja lá se consegue descortinar algum final previsto...
Pois! É como aqui...(aliás, nem o Sr. Martins o permitiria!!)

Filoxera disse...

Beijos técnicos ou paixão de faca e alguidar: viva o sentimento!
Beijinhos e, mais uma vez, parabéns pela escrita imaginativa.

Antonio saramago disse...

Canela, só nos pastéis de nata, ou então no peitinho de uma Donzela!!!