quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

apetites


Tirou-lhe o casaco devagar, acompanhando as curvas sinuosas, deixando-o cair, lentamente, encaracolado em cima daquele chão brilhante de aço. Descobriu-lhe o corpo muito branco, que exibia algumas cicatrizes e até umas nódoas negras. Ignorou-as, porque de uma só passagem, as tornou brancas de novo, imaculadas, lisas. Utilizou as mãos para a fazer rodar lentamente, sentiu-lhe a firmeza, e reparou-lhe nos olhos, fundos e negros. Não se deixou intimidar e voltou-a, perdoando-lhe a imperfeição. Esculpiu-lhe as formas, lapidou-lhe a seu bel-prazer o corpo, sem a diminuir e deu-lhe um banho, de água e sal, deixando que a água corrente destacasse o brilho e acentuasse a brancura do corpo.

Agora tão perfeita, ela estava linda, apetitosa na sua nudez, carinhosamente deitada numa cama confortável de lençóis brancos bordados a cru, que a fez chorar, institivamente, resolvida que estava a sacrificar-se, no deleite de apetites exaltados.

Sentiu o calor dele, cada vez mais forte, que primeiro a fez corar e depois lhe amoleceu as entranhas, lhe tirou a resistência inicial, lhe tornou dourado o corpo tão branco. Abandonou-se à sua sorte, deixou-se inundar por aquele líquido que a preenchia e finalmente encontrou o seu destino, na boca que a ansiava.

E assim soube que era boa.

Uma deliciosa batata assada, degustada com um bacalhau suculento, no repasto de um domingo chuvoso.


25 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

RRRRRRRRRRRR! Volto mais tarde para comentar. Senti-me gozado, não há direito!
Numa palavra: excelente!
( E hoje fui o primeiro a comentar!!!)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

RRRRRRRRRRRR! Não há direito! Rebentou-me a batata na boca. sinto-me gozado, pronto.
Bem, pensando melhor, o post é excelente...
( Hoje fui o primeiro a comentar e acho que perceb a razão de na semana passada alguns não terem entrado)

salvoconduto disse...

Deixem levar na onda e fiquei cá com um apetite...por um bacalhau assado!

de dentro pra fora.... disse...

Eu diria :
que refeição mais apetitosa...
começando no acto sensual do descascar
sem pudores até ao momento em que por fim foi 'comida'...

Feliz da batata que é tratada com tanto carinho :)

Gi disse...

As nódoas negras e as cicatrizes ... uhm!!!! .... Seria uma batata a murro?

Antonio saramago disse...

HUM!!!!Que BOM!!!jÁ SÃO HORAS DE ALMOÇO?

Patti disse...

E eu a pensar, primeiro: o que vai sair daqui.
Segundo: que jeiteira ela tem para descrever momentos íntimos.

Vou almoçar batata doce! Está decidido!

Excelente Si.

Si disse...

Patti,
A culpa é única e exclusivamente sua.
Com a mania que tem de dar vida às coisas, não há agora objecto que me passe pelas mãos que não reclame o direito à palavra.
E aviso desde já que para a próxima semana tenho agendado um post inspirado noutro que escreveu há dias e ao qual darei devido crédito.
Eu já tinha avisado que tinha uma escrita reactiva, não já??
Portanto, Sra. PresidentA, faça o favor de assumir a responsabilidade de escrever posts que se nos colam à mente e que depois dão nisto.....
Beijinhos

Patti disse...

Ahahahahahh, agora fiquei curiosa sobre esse post e muito!

E uma PresidentA curiosa é pior do que um saco Azul!

TRISTAN disse...

Gostei do que li...

Voltarei.

Agradeço a partilha

1/4 de Fada disse...

Nem vou comentar o que me foi passando pela mente... mas acho que a Si tem futuro como escritora, de certeza que venderia livros.

Filoxera disse...

Pois, os lençóis brancos é que não descortinei de que eram feitos...
Está engraçado, este texto que calculei que fosse ter um balde de água fria em tanta sensualidade.

Quanto à pergunta, éramos para ter ido ao Alentejo muito antes, mas a vida farta-se de pregar partidas, pelo que fomos adiando.

Beijos.

Si disse...

Filoxera,
De cebola, senhora, de cebola em gomos crús, que até a fizeram chorar, instintivamente....
E olhe que esse balde água fria não é nada agradável com o frio que faz, credo, vá lá secar-se num instante antes que se constipe! : ) : )
Quanto à resposta, eu sei, estava a brincar consigo, mas se as tivesse antes, até lhe 'roubava' uma para ilustrar o post, tão bonitas que estão...
Beijinhos

BlueVelvet disse...

Si,
há uns tempos fiz um post muuuito erótico que acabava...nas teclas do computador.
A Patti fala com os objectos.
A Si agora escreve este post que devia ter uma bolinha no cantinho superior.
Parece-me que o nosso futuro é começarmos a escrever livros...para crianças:)
Beijinhos de mim para Si

Si disse...

Carlos,
Não há fome, que não dê em fartura!
Logo 2!
E então que mistério foi esse que fez desaparecer tantos comentários??
De resto, agradeço a apreciação e só lhe aconselho é a não ser tão guloso....
rsrsrrsr

Si disse...

Salvo,
Deste, já não há mais, acabou-se!!!(Mas que estava bom, lá isso estava...)

Si disse...

De dentro,
Ah, eu cá sou assim com tudo, é com as batatas, com as cebolas, com os alhos, com as ervas aromáticas, com os chás, enfim, damos-nos todos muito bem cá em casa!! : ) : )

Si disse...

Ó Gi!!
Que tanto já me ri com esse comentário!!
Querem lá ver que ainda me vão acusar de violência doméstica aos tubérculos??

P.S. E cá em casa, as batatas a murro, são com casca, que é para lhes doer menos e não se notarem as nódoas negras.....rsrsrs

Si disse...

António,
Quando chegou o seu comentário, já o bacalhau e as batatas tinham sido digeridos, ou porque é que acha que só postei hoje uma refeição de domingo??
Ainda me vinha o blogobairro em peso cobiçar o almoço, ora essa!!!
: ) : )

Si disse...

Tristan,
Bem vindo à minha casa.
Obrigado e volte quando quiser.

Si disse...

Fada,
São os seus olhos de Fada que a fazem falar assim.
Para escrever um livro, ainda é preciso comer muita batata e muito bacalhau!!
rssrsrsr

Si disse...

Velvet,
O futuro é mesmo ter cada vez mais o prazer de andar por aqui no blogobairro, escrevendo o que nos dá na gana e ainda por cima ter quem nos dê atenção!!

Victor Cardoso disse...

Uma vez escrevi isto lá no meu cantinho...acho que ia bem com o teu prato...

Está um calor que não se aguenta – Facto
E tu aí, a olhar para mim assim – Facto
...
...
...
Já sei!
E se te afagasse, limpando cada gota da tua pele com os meus dedos?
Cumprindo um ritual de passeio das minhas mãos no teu corpo.
Cada dedo a desbravar um trilho diferente, desnorteado sobre ti.

E se eu te experimentasse?
Realizando o meu desígnio de macho, se te abrisse com a delicadeza e a sensualidade que proclamas, com a fúria e a vontade que reclamas?

Que dizias?
Se te aproximasse os meu lábios, mordidos pelo desejo, sedento de ti?
Que dirias?
Se te sugasse a verdade num beijo demorado?
Que dizias?

Desejo a tua resposta.
- Bebe-me sou tua!
E eu, como cavalo que avança pela planície, vou sobre ti.
O desejo cumpre-se, e a satisfação rebenta-me o corpo, como se um rio de água gelada me percorresse, desde as mais cavernosas entranhas até ao mais pequeno poro da minha pele.

Gosto de Ti Assim!
“Estupidamente gelada!”

Si disse...

Victor,
Lembro-me bem deste texto!
Mas sabes, dialoguei com a bejeca e com o Monte Velho e dado ser bacalhau assado, e especialmente com este frio, bem....digamos que o Monte Velho teve argumentos mais fortes.....
rsrsrsr

Ka disse...

ahahahaahah
DIVINAL!!!!

Fez-me lembrar, noutro contexto, um post que a Patti escreveu acerca do frigorífico! Adorei :)


E hoje vou ter lá uma destas :P

Beijinho grande Si