quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

ao correr da pena


nem sempre ao escrever tenho pressa

de acabar o que escrevo depressa

será antes urgência que desimpeça

de saber o fim do que se começa

13 comentários:

salvoconduto disse...

Quem corre assim corre por gosto.

Vieira Calado disse...

O fim geralmente vai dar ao princípio...


Cumprimentos meus.

Patti disse...

Eu por acaso confesso que sou apressadita. E não é com a urgência de saber o fim, é mais uma coisa de feitio.
Mas tenho-me esforçado para melhorar, para ser menos inquieta.

Gi disse...

Ora essa! Eu sou uma peça porque tenho sempre pressa de saber o que me apressa.

pedro oliveira disse...

E ainda bem!

Pitanga Doce disse...

Pois eu escrevo tão depressa que às vezes até fica a parecer letra de médico.

Ontem estive aqui no post abaixo e escrevi um catatau porque não ia deixar barato a "insinuação" da Patti de que sou eu que fico com os sacos da gelo da Blue, mas ao enviar, o blogger deu-me as costas. Mas já resolvi o problema e fui me entender com a dona das "calúnias". hehe

beijos e escrevi depressa.

Vekiki disse...

Eu escrevo depressa. Ando a treinar a minha própria paciência para não querer fazer tudo à primeira, perfeito e bonito. Já começo a ter mais cuidado e a não publicar assim que termino de escrever. Já leio uma vez e faço alterações...enfim...estou a disciplinar-me na minha indisciplina muito própria :)

Fenix disse...

Muito bem!
É essa mesma a ideia de escrever depressa..., e que bonita forma de ser expressa!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vou devagar, que tenho pressa...

BlueVelvet disse...

Quando as ideias fervilham na cabeça têm que sair cá para fora. Depressa.
Outras vezes andam a passear, aconchegamo-las ao coração sabendo que um dia vão passar para o papel.
Devagar.
Lindo, Si.
Beijinhos

paulofski disse...

Não à pressa que impeça
De ter uma palavra impressa
Conto, verso ou promessa
O que é que isso agora interessa!

1/4 de Fada disse...

Sempre gostei de escrever, mas com grande pena minha nunca tive qualquer jeito para poesia. Que bonito, Si.

de dentro pra fora.... disse...

Eu gosto de te ler depressa para saber como acaba a historia :), nem que volte a ler vezes sem conta.. :) é sempre um prazer.