segunda-feira, 18 de maio de 2009

e o porto aqui tão perto



Não há cá pretensões adidasonas, nem nikerinas, nem mesmo sportzónicas ou sequer decathlónicas.
São fatos de treino licrados, regateados a bom preço na Feira de Custóias, sacos de lona verde com bolsos práticos, pendurados em corpos maciços e sapatilhas brancas de grossos cordões de nastro, a firmar pés bem assentes na terra.
Barbas rijas por fazer, sem o descuido cuidado dos meninos bem, a sair, hirsutas, de faces rudes, onde nem o neutrogena calhou de se espalhar, quanto mais os cremes finos das perfumarias nos centros comerciais da moda.
Quando se despem, exibindo fatos de banho e toucas iguais, nenhum deles se destaca, na vaidade do estilo, na perfeição da braçada, no tempo que leva a percorrer o 25 metros para lá e para cá, nem é isso que interessa.
O que interessa são as técnicas de crawl à superfície, os saltos de golfinho, o suster a respiração debaixo de água pelo maior tempo possível, a resistência individual e de grupo.
Não se faz exercício físico para manter a forma, para tirar os pneuzinhos a mais, trabalhar os glúteos que se exibem na praia em calções justos.
Não são mãos de carinhos a punhos de bêémes 1200, nem a volantes de cêélecapas 200, trazem os calos de cordas grosseiras e nylons cortantes, que penetram a água numa cumplicidade de berço.
Não se treina a borboletice da mariposa pela arte de conjugar forças e hidrodinâmicas acessíveis só aos espíritos mais competitivos, retêm-se são os movimentos precisos que podem salvar vidas entre uma vaga e outra, testam-se coragens de quando as forças são puxadas ao limite.

E é assim todos os Sábados, ao meio-dia, quando uma dúzia de boçais, mas aplicados alunos, se dirige à Piscina Municipal, para mais uma aula prática do Curso de Marinheiro de Pesca da Lota de Matosinhos.

10 comentários:

Pitanga Doce disse...

Deixa-me ir tomar um Engove e já volto. Não era eu que entrava neste barco! É preciso ter coragem e obstinação.

boa semana

pedro oliveira disse...

Ao ler o teu texto,lembrei que já não vou dar umas braçadas há muito tempo.Tenho de voltar à piscina.
boa semana
bjs

Justine disse...

A pureza da vida sem artifícios. A coexistência de todos os tipos de vida, que deveria ser pacífica...
(muito bem descrito, este grupo!)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Está na hora de ir lá baixo à piscina dar umas braçadas. E o dia- apesar de um ventinho frio- até está a convidar. Até logo!

paulofski disse...

Curso de pesca ao náufrago ou aula prática de sobrevivência em alta piscina?

1/4 de Fada disse...

Fiquei aqui a pensar num filme fantástico que vi há vários anos, "A Tempestade", em inglês, "The Perfect Storm". As personagens eram idênticas às suas.

Violeta disse...

lembraste-me que tenho que me inscrever na natação...

Patti disse...

Brilhante Si.
Digno de uma crestomatia.

Gi disse...

Ai que enjoo, Si!
Tenho tanto respeito e admiração pelos marinheiros.
Para mim só mar chão.

Grande Jóia disse...

Deixei convite na GJ:)