sexta-feira, 14 de agosto de 2009

horas de verão # 2

A sugestão veio daqui.

A informação do site, também, o contacto fez-se logo ali, no sítio da reserva online dos bilhetes. Eram 3, se faz favor.

Num belo de um Domingo soalheiro, pusemo-nos a caminho da minha cidade ancestral, com paragem e almoço agendados na morada de um colega de tropa do cara-metade, para um reencontro fugaz, que esperou mais de 20 anos para acontecer. Há amizades que não envelhecem. Esta é uma delas, digo eu.

Mas vamos, temos que ir, o Convento de Cristo espera-nos, para a tal da adaptação para peça de teatro, da obra de Umberto Eco, O Nome da Rosa.

Huuuummm, teatro? Português? Amador, ainda por cima?? Fatias de Quem??

Cessem as interrogações.

Não fora a fraca qualidade das fotografias, e poderia fazer mais justiça ao que assistimos: uma original peça de teatro, cujo palco é o próprio Convento, o público anda ou corre, literalmente, atrás dos actores, conforme eles se deslocam pelos vários claustros, salas e antecâmaras, e até partilha os 6 momentos de refeição dos monges, incluídos nas cerca de 5 horas de espectáculo. Parece muito? 'Ca ganda seca? Não. Nem pensar. Passaram a voar e só nos sentámos para comer.

Este era o monge cego

Guilherme de Baskerville, o monge-detective, num momento de interrogatório
Os representantes do Papa

Fatias de pão tostado no forno com queijo derretido e oregãos

Querem mais??
Concedo, mas só para quem me responder acertadamente às seguintes questões:
- Como se chamava o monge aprendiz de Guilherme de Baskerville?
- Quem era o assassino dos sete monges?

Se os ventos que vêm de um certo Rochedo, soprarem na direcção certa, talvez este passatempo também tenha muitas participações e um prémio surpresa....
Façam o favor, estejam à vontade!!

21 comentários:

salvoconduto disse...

Cum raio vizinha ao que nos obriga!

Bom, o monge aprendiz chamava-se Adso de Melk e o assassino era a própria biblioteca da Abadia. Não?...

Ó vizinha deixemo-nos de tretas, posso comer o pão tostado com queijo derretido e oregãos? Não?...

Luísa disse...

Si: prémio surpresa? É para já: o aprendiz chama-se Adso de Melk e o assassino é o monge cego Jorge de Burgos. ;-)))
P.S.: O espectáculo deve ter sido giríssimo, pela sua originalidade, pelo cenário e pelo enredo.

Kristal disse...

De memória,tinha receio de errar,pois a minha idade se aproxima da de Adso e talvez um pouco menos do que a do cego Jorge,mas deixando de lado as tarefas domésticas tenho estado a a folhear o livro de 20 em 20 pag.
Até logo

Violeta disse...

O nome do aprendiz não me lembro mas o assassino era o cego.
bjs e que pena ter perdido este evento... mas não posso assistir a tudo tenho que ser mais humilde!

Miepeee disse...

Se nao estou enganada, o monge aprendiz era o Adso e o assasino o monge sego de nome Jorge.
Nao sei se acertei, ja vi o filme ha algum tempo.
Beijinho.

pedro oliveira disse...

já vi o filme várias vezes e confesso que não sei os nomes.Vá lá conta mais,lol.
bjs

Dulce Braga disse...

Que espetáculo deve ter sido!
Não me lembro dos nomes:((

Antonio saramago disse...

CONVENTO DE CRISTO?
AH!!!Issso foi sèca devido aos efeitos da poluição do NABÃO!!!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pronto, a resposta já está dada e não vou ter direito a prémio.
Mas tenho interesse adicional neste post porque (salvo partida pregada pelo tio Alzheimer) não sabia que era de Tomar,a cidade onde cumpri parte do serviço militar e me deixou belíssimas recordações. Vou lá com frequência, precisamente para ver espectáculos dos "Fatias de Cá".
Este seu post trouxe-me boas recordações, para compensar as outras que todos os anos me ensombram este dia.

Si disse...

Carlos,
A sua resposta só conta se a der e eu não revelei as condições de atribuição do prémio, portanto, basta responder para se poder candidatar...
Quanto a Tomar, tal como revelei no post das verdades e das mentiras, é a cidade dos meus bisavós e por consequência, a de um dos meus avós, daí eu lhe chamar a minha cidade ancestral :)

Si disse...

Violeta,
Ainda está a tempo de ver esta obra. Basta clicar no link dos Fatias de Cá, procurar a data em que lhe dará mais jeito ir assistir e reservar os bilhetes online.
O espectáculo já está em cena há mais de dois anos e não está previsto que saia tão cedo, precisamente pela originalidade do conceito e o sucesso que provoca.
Só lhe digo. Vale mesmo a pena e, além disso, come-se muitíssimo bem!!! ;) :))))

Justine disse...

Adorei o livro, gostei do filme e o espectáculo do "Fatias de cá" é excelente, como tantos outros que já vi no mesmo espaço do Convento de Cristo! Tomar, cidade belíssima onde vou frequentemente para a mostrar a amigos que passam cá em casa.
Belas sugestões para estes dias encalorados:))

Antonio saramago disse...

POIS, eu fico fora do baralho das respostas porque não aprecio muito o teatro e muito menos sei nomes de personagens ou actores.
Como Natural da Capital da Cidade de Tomar, tenho lido algo sobre o FATIAS DE CÁ e tenho lido sempre pelas melhores razões, mas muito sinceramente, sou totalmente ignorante sobre a matéria e com a lacuna maior de em jovem ter feito parte de uma peça de teatro.

Para os entendidos , ficam as reacções...

Maria disse...

Já está respondido mas mesmo assim:
-Adso de Melk
-Jorge de Burgos

Belíssimo romance de Humberto Eco! Eu também gostei do filme, agora, tenho pena de não estar por aí para ver a peça, teria muito interesse e curiosidade em ver como adaptaram e encenaram - acredito que valha bem a pena (conheço-lhes de outros trabalhos) - o "Fatias de Cá" merece toda a minha admiração!

(Um aparte a propósito da "trama" do livro - longe vão os tempos em que o "conhecimento" estava controlado só por alguns e quem ousasse intrometer-se não teria bom fim, no entanto, ainda hoje quem discorde e resista a qualquer "cartilha ortodoxa", a maior parte das vezes é considerado um perigo...)
É um problema ancestral:)))

Si disse...

A todos os participantes e a possíveis visitantes: Todos os que responderem (acertadamente, claro) estarão em pé de igualdade para a atribuição do prémio surpresa, sendo que não interessará terem sido os primeiros ou os últimos.
O critério de atribuição do prémio é apenas este, e a participação poderá continuar até às 00.00h de segunda feira.
'bora lá, vizinhança??
Sem medos nem vergonhas, ok?? :)))))

Filoxera disse...

Lembro-me do Adso e do monge que era cego e colocava uma substância venenosa no canto das páginas.
Esta versão devo ter sabido bem melhor que o filme com o Sean Connery...
Beijos.

Antonio saramago disse...

1º Prémio para mim, já que não percebo patavina disso...

Rosa dos Ventos disse...

Cheguei tarde, já está tudo dito!
Já vi os "Fatias de Cá" a trabalhar e gostei!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Mas obriguei-me a procurar o livro nas estantes e a reler algumas páginas. :-))

Brunorix disse...

Atrasos de férias... aceitam-se não é? :)

De qualquer das maneiras fico feliz que as sugestões sejam aceites. Se cada um de nós influenciar pelo menos uma pessoa, a sugestão já fez o seu papel!

Si disse...

Bruno,
E que sugestão!
Foi realmente uma tarde belíssimamente bem passada, a percorrer cantos e mais cantinhos daquele impressionante monumento.
Obrigada uma vez mais!