quarta-feira, 5 de agosto de 2009

sonho de menina


Pela janela, entravam frases soltas, bocados de pensamentos, palavras esquecidas a um canto que reclamavam vida, porque o dia a dia gosta é de ideias corridas, não perde tempo com elaborações.
Mas estava chegada a hora.
Com uma rede, daquelas com que se apanham borboletas ou estrelas, tentava afincadamente recolhê-las, com jeito, com leveza, para não as beliscar.
Depois, separava-as, ordenava-as, dava-lhes forma, enquanto lhes dizia:
- Agora, vais para aqui, que os teus manos estão à espera.
- Tu, que já há muito tempo não aparecias, ficas na fila da frente, para seres usada mais depressa.
- Agora é a tua vez; Ah! Eras mesmo tu quem eu queria para acabar ali uma coisa. Ainda bem que vieste...
- Olá, estás aqui? A sério que queres ficar? Então está bem, eu ponho-te com as mais velhas.
E ria, e brincava e esticava-se toda para chegar com a rede mais acima, onde flutuavam as mais difíceis. Até se pôs em cima de um banco, para chegar àquela que ficou presa na moldura da janela.
- Anda cá, não tenhas medo, quero-te conhecer melhor, saber de onde vens e o que tens para dizer! Vá lá, não fujas!
Esteve assim o dia todo, ora muito grande, ora muito pequena, conforme se dava toda, de rede na mão, ou se encolhia na tarefa de as pôr a jeito.
A noite apareceu e ela fechou a janela.
- Amanhã também é dia, estou tão cansada!
Deitou-se e fechou os olhos. Sonhou, a sorrir, com todas que lhe tinham passado pelas mãos.

- É tão divertido aprender a ler!

**Post publicado em Dezembro de 2008

37 comentários:

salvoconduto disse...

Tantas que passaram pelas mãos. Tantas, tantas, que às vezes esqueço algumas. Não é pecado, pois não? Não é alzheimer , pois não?

BlueVelvet disse...

Que fantástica forma de descrever a uma criança como se aprende a ler.
Acho que deve guardar estes escritos para um dia os ler aos seus netos.
Tenho a certeza que vão adorar.
Beijinhos de mim para Si

Ps: o prémio já chegou. Obrigada

de dentro pra fora.... disse...

Aprender a lêr é isso mesmo, poder brincar com as palavras, construir historias de encantar e á noite deitar e sonhar com elas...

Gi disse...

Eu aprendi a ler com 4 anos, porque queria ser eu a saber da história e não que fosse a minha mãe a dizer-me;

Antonio saramago disse...

( S ) de Sonhadora (I)de Indiscútivel capacidade de Idealizar.
É Adorável passar por aqui todos os dias, SI!!!!

pedro oliveira disse...

Aprender a ler é uma aventura! a minha mais pequena está na fase de ligar as palavras com a imagem, é engraçado ela a tentar ler Disney.
Quando vê a palvra diz logo, olha está ali escrito dis ney!

Po
vilaforte

Patti disse...

Não me lembro da altura exacta em que comecei a ler, mas recordo-me perfeitamente do meu primeiro livro que li só com letras e que foi uma descoberta fantástica até hoje em que leio 6 e 7 ao mesmo tempo e há sempre espaço para mais um.

Bela interpretação, Si. Aliás, como sempre.

Ka disse...

Tenho o Luís já todo atento às letras e à associação com as palavras e é engraçado ver a carita dele a cada descoberta...é como se um mundo novo se abrisse diante dele a cada letra nova que aprende :)

beijinho

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não sei como aprendi a ler. Apenas recordo uma coisa que os meus pais sempre contavam.
Um dia, tinha eu 4 anos, apanharam-me com um jornal( O Primeiro de Janeiro, claro...) na mão a ler em voz alta. A princípio pensaram que eu estava a inventar, mas quando descobriram que estava a ler tudo direitinho,calaram-se e nunca disseram nada a ninguém, antes de eu ir para a escola. Cá para mim, continuo a pensar que os meus pais recearam ter lá em casa um extra-terrestre e não queriam que ninguém soubesse...

Miepeee disse...

Quando aprendi a ler, lembro-me que nao parava de ler, tudo o que visse mesmo que nao percebece o que significava lia, hoje a B. faz o mesmo, le o que lhe aparece a grente e o ar de satisfacao quando e bem sucedida e tao bom de ver.
Ainda nao sabe ler portugues, mas vai aprender em breve.

Filoxera disse...

É a fase em que o meu filho está
;-)))

Victor Cardoso disse...

Gostei! Sim senhor!
....embora nem todas as palavras sejam como borboletas.
Ainda bem.
Aprender a ler, é começar a virar o mundo de pernas para o ar.
Bonito texto.
Vou já aprender a ler.

Coragem disse...

Valem-nos estas lembranças perfeitas da infancia, as primeiras letras, as primeiras histórias de encantar, podem elas fazer toda a diferença de uma vida...

Beijinho

Si disse...

Salvo,
Alzheimer? Náááá...são elas que nos trazem por aqui, então!

Si disse...

Velvet,
A este ritmo, quando chegarem os netos, já eu tenho escrito 5 ou 6 romances....no mínimo!!!
rsrsrsr

Si disse...

De Dentro,
E sem darmos por ela, apoderam-se de nós e já não fazemos mais nada sem elas, já reparou?

Si disse...

Gi,
Não me admira nada!
À velocidade que mantém o seu blog, vê-se logo quem é que manda nas letras lá em casa!
Beijinhos

Si disse...

António,
Que comentário tão simpático.
Obrigado

1/4 de Fada disse...

Eu obriguei a minha mãe a ensinar-me a ler, quando tinha 5 anos acabados de fazer. Aprendi pela velha cartilha do João de Deus e nunca mais parei de me surpreender com a magia das palavras. Segundo a minha mãe, foi a grande libertação dela, porque deixei de andar pendurada nas saias dela para me contar histórias e brincar comigo.

Si disse...

Pedro,
É uma fase formidável, vermos aquelas cabeças a fervilhar, sôfregas de conhecimento!

P.S. Estou em falta com o seu espaço, mas o tempo tem sido tão pouco....

Si disse...

Patti,
Em miúda, devorava livros, lia tudo o que me aparecia à frente, fosse para a minha idade ou não, pedia de presente de Natal colecções de livros, enfim, aproveitei bem o tempo, enquanto pude. Quando fui para a escola também já sabia ler, ensinada pelo meu pai, com uns cartões brancos, de gordas letras negras. Ficou como piada na família a altura em que aprendi o 'p', porque só o conseguia dizer se primeiro enchesse as bochechas de ar.....

Si disse...

Ka,
Sabe que acho que as legendas ajudam imenso a aprender a ler, e que só muito tarde é que comecei a aceitar as dobragens??
Beijinhos e as melhoras!

Si disse...

Carlos,
Não me lembro exactamente, mas também deve ter sido mais ou menos com essa idade que aprendi. Quanto ao seu caso, acredito que as letras tenham vindo ter consigo como vieram ter com esta menina.
No entanto, e para seu descanso, já procurou o implantezinho???

Si disse...

Miepeee,
É um cérebro ainda virgem de conhecimentos que assim o determina. E não deixe de dar à B. coisas em português para ela ler, porque, como sabe, nestas idades, é facílimo lidar com duas línguas diferentes
Beijinhos

Si disse...

Filoxera,
E é tão giro não é?
Beijinhos

Si disse...

Victor,
Obrigado. Mas não será que é pôr antes o mundo direito, como toda a gente o vê?

Si disse...

Coragem,
É isso mesmo.
Aprende-se a ler, mas não se aprende a gostar de ler. Isso é instintivo, embora se possa dar sempre um empurrãozito...
Beijinhos

Si disse...

Fada,
E de história em história....deu no que deu, não foi?
Obrigada pela sua visita.
Beijinhos

Pitanga Doce disse...

Si, eu gostava de ter aprendido a ler assim, mas a minha professora era feia e má e tinha uma verruga na ponta do nariz. Pelo menos é assim que me lembro dela. hehehe

Kristal disse...

Aprender a ler é um das nossas conquistas de liberdade.Conhecemos seres à revelia dos nossos Pais,conversamos com eles,modificamo-los,fugimos do espaço circundante.Se bem me recordo, tinha 4 anos,quando cheguei junto de minha Mãe de jornal na mão disse:"já sei ler,olhe:es co la por tu gue sa".Era o nome do jornal que os profs de Ensino Primário eram obrigados a assinar.Na verdade,a minha aprendizagem foi fácil porque,vivendo na aldeia onde minha Mãe dava aulas e, dado que ela levava para casa os alunos com dificuldades,as letras e os algarismos eram as minhas companhias.A Mãe assustou-se com a proeza,porque receava meninas prodígio,mas felizmente não era o caso e pude falhar com certo à vontade na vida escolar.Parece-me que foi premonitória a escolha do título do jornal,estava escrito.E mais ainda, o mais difícil foi descobrir a palavra portuguesa .Ainda hoje ando às voltas com a Escola Portuguesa sem perceber o que se passa.Beijinhos

Rosa dos Ventos disse...

E da maneira como o contas ainda é mais divertido, além de criativo!

Abraço

Justine disse...

Que plano mais poético - e eficaz, diria - para apanhar as letrinhas. Tal como às estrelas...
Se tivesse um neto, pedia-te emprestado o médoto:))

Luísa disse...

Não sei bem como se começa a ler, Si, mas julgo que já não é pela junção de letras, mas pela identificação de conjuntos de letras e de palavras, um pouco como descreve no seu «post: apanhando-os no ar, como quem apanha borboletas. Um texto muito bonito e sugestivo, que poria qualquer criança em ânsias de aprender. :-)

Sunshine disse...

Que texto mágico!
Ainda olho as letras como se fossem estrelas e espero nunca o deixar de fazer.
beijinhos com raios de sol

Antonio saramago disse...

Olha, eu cá estou a recordar mais um maravilhoso trabalho teu, dos primeiros não foi?

Eu também fui um bom menino com as letras, assim como com as borboletas!!!

Filoxera disse...

Lembro-me deste post.
Beijos.

paulofski disse...

Que belíssima ideia teve a Si de reeditar tão lindos textos. Uma maravilhosa sopa de letras que saboreio com todo o gosto.

Pelo que me contaram aprendi a ler na escola primária com muita facilidade. Já o meu filho lia e escrevia na pré-primária e o pai todo babado pois claro!

Bom fim-de-semana.