segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Onda do Mar

Foto Erik Kolstad
Tocas-me com os dedos
Brancos de espuma
Molhados de sal
Frios como a bruma
Esse afago arrepia-me
Sinto-me estremecer
E enrolada no teu abraço
Deixo-me adormecer




25 comentários:

annie hall disse...

" Gosto de escrever , ponto final ."
Serei uma leitora atenta .
Boas vindas e que se sinta bem por muito tempo .

Vekiki disse...

Lindo Si!

Patti disse...

Pronto! Eu já sabia.

Temos poetisa e carregadinha de sinestesias de arrepiar, até os que já se foram.

Filoxera disse...

Adormece, no meio da espuma salgada, o arrepio já esgotado numas mãos agora quentes.
Beijo.

BlueVelvet disse...

Ora aqui estão duas coisas que não sabia:
que temos poetisa e que ama o mar.
Quem escreve assim sobre o amor com ele como fundo tem nele a maior inspiração.
Lindo.
Veludinhos azuis e boa semana

Antonio saramago disse...

É bom adormecer encostada a algo que se adora não é?

Si disse...

Annie,
Obrigada pela visita, pelas palavras e pela promessa de voltar
De Si para si, prendinhas.

Vekiki,
Acha que sim?
A sensibilidade de quem lê é que conta.
De Si para si, prendinhas.

Patti,
Já não me lembro há quantos anos escrevi isto...mas daí a ser poetisa, credo!
E ó madrinha, desculpe, eu não fazia a mínima de que ia carregá-la com aquelas coisas....Se forem muito pesadas, pouse-as aqui mesmo e sente-se um bocadinho. Quer um casaquinho??

Filoxera,
Um comentário cheio de sentido e de ternura...como eu gosto!
De Si para si, prendinhas

Velvet,
Só ficou a saber uma, porque poetisa não sou de certeza, a não ser que com as "bençãos" dos padrinhos me torne em alguma, tipo daquelas fadas, que dão os predicados todos aos afilhados com um "plim".
Quanto ao mar....isso já a coisa pia fino, mas a minha verdadeira paixão e a razão de ter começado este blog ontem, só amanhã a verão...
De Si para si, prendinhas azuis

António,
É sim, embora reconheça que, pela sua imprevisibilidade, não convenha muito, a não ser quando ele e eu conversamos assim: em pensamento.
Volte sempre.
De Si para si, prendinhas

Patti disse...

Sinestesias, pesadas?
Nem pense nisso, adoro! Aliás eu às vezes sou a própria da sinestesia.

Miepeee disse...

Muito bonito. Eu diria que e bom adormecer deixando-nos embalar pelo som do mar.

Si disse...

Patti,

Eu lá tinha as minhas razões para lhe pedir as bençãos de madrinha...
Entretanto, aqui tem o seu casaquinho e uma chaveninha de chá quentinho, para lhe acalmar o arrepio, adoçado com mel, que o açúcar acabou e vou ter que pedir uma à vizinhança ;)
Estes Ares daqui ainda correm brandos, mas nunca fiando....

P.S. Já reparou nos acrescentos ao blog?? E eu a pensar que era difícil...afinal, carregar nos links dos blogs padrinhos também dá!! rsrsrsrsrs

de dentro pra fora.... disse...

Acho que vou gostar ainda mais de a ler por cá...gosto destas coisas do coração, que heide eu fazer! :))

Si disse...

Miepeee,

Um bom passeio por este blogobairro. Vai ver que só encontra gente boa, verdadeira e educada. E então se veio pela mão do padrinho Carlos, já está mais do que recomendada.
Porque é que acha que me mudei para cá???
De Si para si, prendinhas de boas vindas

Si disse...

De dentro para fora,

Então se gosta, convido-a para amanhã conhecer a razão porque iniciei este blog na data de ontem.

De Si para si, prendinhas.

Maria Clarinda disse...

Lindo o teu poema....
Vim conhecer-te, pelo post da Blue Velvet e adorei.
Voltarei mais vezes...jocas.

1/4 de Fada disse...

A poesia é particularmente difícil de comentar, ainda para mais vinda de uma pessoa que faz sempre uns comentários magníficos, o que já por si nos deixa uma tarefa difícil. Mas esta poesia é linda e fala de uma coisa de que eu gosto muito, o mar... Volto amanhã, de certeza.

Coragem disse...

Que abraço profundo e forte.
É o mar que nos acarinha,
que nos envolve e domina
de uma forma unica...

Si disse...

Maria Clarinda,

A madrinha só conhece gente boa, por isso, seja muito bem vinda a esta casa. Volte quando quiser.

De Si para si, prendinhas.

Fada,

Cá a espero. Aliás, nem podia ser de outra maneira, porque madrinhas já tenho, só me falta mesmo uma fada para bem agourar este projecto.

De Si para si, prendinhas fadadas

Coragem,

É assim mesmo que o sinto. Sem tirar nem pôr...

De Si para si, prendinhas

R.L. disse...

Gostei. Não sei se pela temática se pelo jeito minimalista, lembra-me a poesia de Sophia.
Sei que não quer ficar agarrada a qualquer género literário, considere isto apenas como um sincero elogio.
Volto em breve.

mariam disse...

Si,
e, assim, dependendo do arrepio,,, esse sono será...

gostei.

boa semana
um sorriso :)

mariam

Si disse...

r.l.,

Agradeço o elogio e a comparação.
De facto, não posso ficar agarrada a estilo nenhum, porque não o possuo, pelo menos parecido com alguma coisa definida.
Este é o meu caderno de apontamentos, que página a página vou desfolhando e partilhando.

Volte quando quiser, comente quando lhe apetecer, a porta estará sempre aberta.

De Si para si, prendinhas

Si disse...

Mariam,

Por aqui e a esta hora, não tarda muito e o sono será o mais profundo possível : ) : )

Fique por aí e sente-se relaxada, a aproveitar a calma do fim de mais um dia e tente ouvir na sua cabeça o som desta imagem.

Depois, é só aproveitar o embalo...

De Si para si, prendinhas embaladas

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Si:
Ainda não nos tinha mostrado a sua veia poética... isto promete!
Senti um frissonzinho ao ler isto, mas devido ao adiantado da hora, fico-me por aqui.

Si disse...

Carlos,

Ainda bem que apareceu...
Fazia-me falta o comentário do padrinho!
E não ligue, isto não é veia, foi só mesmo uma conversinha de pé de orelha que tive com o mar, num tempo já muito distante.

De Si para si, prendinhas e folares

f@ disse...

Ondul(ar) o sonho…
de imensa a mar(es ia) embalo de asas brancas…

Bj das nuvens

Flip disse...

Dormiu enrolada e quente
nem com o mar acordou
sonhou leve levemente
apenas o sol a tocou
com a neblina da manhã
e o cheiro doce da maçã.

prometo vir visitá-la de vez em quando, felicidades.
:)