terça-feira, 21 de outubro de 2008

notícia de abertura

F Foto Dario Flores

Ele vai-te matar, ele vai-te esfrangalhar, ele vai-te estocar, esventrar e estripar com a forquilha do demónio, ele é negro, tem os olhos vermelhos de raiva, tem os cabelos em chamas, desceu dos céus para te castigar, abriu-te o inferno onde vais cair, tens de te defender, tens de evitar, tens de fugir, mas não consegues, porque ele te vai apanhar, vai-te matar, é agora, é logo, é mais tarde, é sempre, não baixes a guarda, porque ele espia até os teus pensamentos, até os teus sonhos ele conhece, é ele que te provoca essa dor tão aguda quando te trespassa a cabeça para te esmiuçar os miolos, e as cores?? gostas destas cores? porque não as pintas?? pega num pincel e fá-lo, não ouves?? estou-te a dizer para pintares as cores, de que estás à espera? as mãos também servem para pintar, para mostrares ao mundo como gostas de vermelho, mas tens de as tirar dos ouvidos, tens que os destapar, mas eu não quero, porque senão ouço gritos, eu não quero porque ele está sempre a mandar em mim, eu não quero porque tu também mandas em mim e eu não te quero ouvir, não quero, não quero, não quero!! então não queres ouvir? eu falo mais alto, eu dou-te razões para tu ouvires, não vês que ele te vai matar, te vai esfrangalhar, te vai estocar, esventrar e estripar com a forquilha do demónio e é agora, é logo, é daqui a bocado, é sempre, tens de lhe fazer frente, tens de te defender, tu que és um anjo tens que evitar que o maldito traga mais mal ao mundo. não tens pena das criancinhas que ele violentou, das mulheres que ele abusou e maltratou? acaba com isto já! acaba com isto agora!!


“Boa noite, abrimos este Jornal com a notícia que está a chocar o país, um homem, de 35 anos, foi, esta manhã, violentamente assassinado pela sua companheira, no Lugar das Almas, freguesia do Concelho de Além. Segundo fontes que requereram o anonimato, os pormenores deste crime são de uma violência indescritível, já que a vítima foi completamente esventrada por uma forquilha, usada para a agricultura, e o seu sangue espalhado com as mãos pelas paredes da casa. O corpo de Manuel Paz foi descoberto por vizinhos, que deram o alarme, ao verem a sua companheira no exterior da habitação, despida, ensanguentada e com a arma do crime nas mãos. Não se sabem as causas que, alegadamente, levaram Maria das Dores a cometer este acto, mas ao que tudo indica, sofrerá de graves pertubações mentais, nomeadamente de esquizofrenia”



20 comentários:

Antonio saramago disse...

Que rico Aperitivo para o pequeno almoço e aliciante para começo de um dia de trabalho.
FOGOOOOOOOOOOO!!!

Patti disse...

Eu por aqui, pelo Ares é sem dó e piedade e aliás já escrevi sobre isto mesmo várias vezes, porque estes temas não são só para serem lembrados no dia 8 de Março.

Se casos destes acontecessem mais vezes e fossem devidamente noticiados, se calhar haveria muito menos vítimas de violência física doméstica, porque o homem é cobarde na sua natureza.

Quando um homem se passa da cabeça e agride uma mulher é cultural se é o contrário, é porque ela estava possuída.

Si disse...

António,
Há coisas que não têm hora para se escrever ou ler. Esta é uma delas.
Prendinhas

Si disse...

Patti,
Pode-se culpar o homem ou não. Deixo isso ao critério do leitor. Este texto é precisamente sobre aquilo que não sabemos sobre os outros. Será verdade? Será alucinação? E quem é aqui a vítima? Dá que pensar, não dá??
Prendinhas arejadas

Patti disse...

Neste seu post a história é uma e o resultado final da notícia é outro.
Eu interpretei com os factos que tive, daquilo que li.
Cada casa é um mundo e guarda nele muitos segredos. Nesta casa, entendi que havia um homem que batia numa mulher, que um dia em desespero de causa o matou.

Se assim foi, sinceramente não me interessam as culpas, mas sim as responsabilidades. E ainda menos me interessa a cultura, educação ou os exemplos herdados dos pais.

Si disse...

Patti,
Essa, é de facto uma das interpretações. Outra poderá ser aquela da mulher (por acaso é uma mulher) que sofre com perturbações mentais reais e cujas alucinações a levam a cometer actos de violência.
De uma ou outra forma, há sempre vítimas inocentes pelo caminho.
Prendinhas arejadas

BlueVelvet disse...

Muito bem descrito o que se passa na cabeça de uma mulher que é durante anos, maltratada e espancada pelo marido.
O medo e a revolta devem travar grandes lutas, até que um dia a revolta leva a melhor.
Depois, aqui d'el-rei que é maluca.
Há só uma coisa nestes casos que ainda não consegui entender, mas quem sou para julgar, é o porquê de aguentarem tanto tempo.
Talvez necessidades económicas.
Uma triste realidade.
Ontem, no tele jornal da Sic, informavam que só este ano, já morreram 32 mulheres vítimas de maus tratos.
Enfim, revoltante.
Beijinhos de mim para SI

Patti disse...

Perfeitamente possível, mas no entanto essa esquizofrenia seria muito mais difícil de esconder aos olhos dos outros.
Mas é verdade que tudo tem dois lados, até o mal e que muitas vezs, senão quase sempre disparamos em interpretações, julgamentos e até forcas.

de dentro pra fora.... disse...

Pois é desses que tenho pena...dos que são apanhados pelo meio, desprevenidos e muitas vezes sem saberem o que se passa...

Olha se calhar é isso que tem rondado por aqui, alguém possuido, que não olha a meios para atingir os fins.
Como vês há os em todo o lado

Si disse...

Patti,
Curiosamente, a esquizofrenia é das doenças mentais mais difíceis de diagnosticar, porque o principal sintoma reside nas vozes que os doentes ouvem e que não conseguem distinguir dos seus próprios pensamentos, tanto, que agem de acordo com elas. Infelizmente é muito vulgar haver doentes por diagnosticar e com consequências graves (inclusivé de violência) para eles e para a família.

Patti disse...

Concordo consigo na parte do diagnosticar, assim como a epilepsia o é também, mas muitas das crises são visíveis a olho nu.

Si disse...

Velvet,
Remeto-a para a resposta ao comentário da Patti. Há outras interpretações a este texto que se calhar não serão tão lineares, embora a que fez, seja de facto, uma das possíveis.
Prendinhas azuis

Si disse...

De dentro para fora,
A violência é sempre inexplicável e injustificável, venha ela de onde vier.
Prendinhas

Si disse...

Patti,
Engana-se. Quase toda a gente consegue identificar uma crise de epilepsia a olho nu, à maior parte nem lhes passa pela cabeça aquilo que passa pela cabeça de um esquizofrénico, que segundo a gravidade da doença pode apresentar variados tipos de crise psicótica e dissociativa. Um esquizofrénico tanto pode ser alguém aparentemente tímido que apenas conversa em voz alta consigo mesmo, como alguém que grita descontroladamente, diz coisas sem nexo e entra em delírios e paranoias de perseguição. No primeiro caso, é, por isso, perfeitamente possível passar despercebido a conhecidos e vizinhos, de quem se isola.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desculpem lá, mas vou intrometer-me na conversa feminina. Só para dizer que, apesar dos números obscenos de mulheres que morreram vítimas de maus tratos dos seus homens, devemos ponderar alguns aspectos:
1- Um marido não mata a mulher porque um dia chegou a casa chateado ou teve um ataque de esquizofrenia e deu-lhe para aquilo. É um processo que s desenrola ao longo de anos

2- Muitas vítimas rejeitam a intermediação de familiares e amigos que se apecebem de situações de maus tratos e conheo até casos m que fizerma denúncias à APAVT. Acabaram acusadas de se meterem onde não são chamadas

3- Há mais casos de mulheres a maltratar homens do que se possa imaginar.
Bem, fico-me por aqui, para não pensarem que estou a tentar desculpabilizar estas situações.
Conchinhas

Si disse...

Carlos,
E intromete-se muito bem, que isto de críticas construtivas, discussões elucidativas e trocas de opinião é aquilo que eu mais gosto e de onde considero haver vantagem nesta coisa da blogosfera. Para andarmos aqui só pra dizermos "que bom", "que lindo" ou "está muito bem escrito", não vale a pena, que para isso não tenho pachorra.
Daí que, meu amigo, lhe possa dizer que, embora este texto não tenha tido APENAS a intenção de retratar a violência doméstica, na sua versão mais comum, a maior parte dos aspectos que revela também não são assim tão lineares:
1 - O triste está mesmo em ser um processo: quer seja de abusos continuados, quer seja de doença mental, nada justifica que um ser humano maltrate outro, mesmo nas situações extremas em que a alteração psicológica atinja níveis de incapacidade de distinguir conceitos como o bem ou o mal.
2 - Ainda está por avaliar o verdadeiro motivo que leva muitas vítimas (diria até a maior parte) a negar os abusos ou a rejeitar o apoio. Cada caso é um caso, mas, na generalidade, os maus tratos físicos implicam maus tratos psicológicos tão violentos que a vítima acaba por distorcer completamente a percepção da sua realidade, criando sentimentos de culpa, dependência e até o célebre "síndrome de estocolmo".
3 - Nesta minha resposta ao seu comentário, se bem reparou, referi-me sempre a seres humanos e vítimas, o que quer dizer que não é admissível em nenhum dos sexos.

Patti disse...

Sem me alongar mais neste assunto das doenças neurológicas, digo-lhe apenas que infelizmente conheço uma e outra, bem mais de perto do que desejaria e que um doente não é igual ao outro, o mesmo para as crises.

Miepeee disse...

Li este post de manha enquanto comia e sinceramente nao fui capaz de comentar, deu-me a volta ao estomago.
Noticias destas ficticias ou verdadeiras fazem parte do nosso quotidiano, muitas vezes sem sao expostas em praca publica. Tal como foi referido pelo Carlos o importante e realcar a quantidade de vitimas de maus tratos sejam elas mulheres ou homens, maus tratos fisicos como tambem psicologicos. Nao me parece que tenhamos o direito de retirar a vida a outra pessoa, mas sim denunciar as entidades competentes, infelizmente para muitas vitimas esta ultima opcao e dificil de tomar,uma vez que encaram a denuncia como uma exposicao a vergonha. Vergonha e um ser humano exercer qualquer tipo de violencia sobre outro.
Beijinho.

Si disse...

Patti,
Exactamente. E mesmo conhecendo nem sempre somos capazes de compreender.
Prendinhas arejadas, para arrefecer o calor da conversa : ) : )

Si disse...

Miepeee,
Compreendo-a e sabia que este post iria inibir alguns comentários, pela violência explícita. Quanto à sua opinião, concordo, porque tal como já disse, nada justifica que aquele que se intitula de animal racional, se comporte pior que os irracionais...
Obrigada pela visita.
Prendinhas