quinta-feira, 16 de setembro de 2010

jardins proibidos



É que foi mesmo por causa de aquele querubim rechonchudo ter aterrado ali de mansinho, logo ao lado da janela, que acabei por dar, à parede do meu quintal, esta cor azul celeste, igual ao que será, certamente, o ambiente em redor da sua nuvem-natal.
E, no correr do pincel, estendi-me para a mesa e depois, claro está, para as cadeiras, ufanas que ficaram de ter um ferro forjado naquele tom, tão enjoadas que já estavam do verde musgo, a agradecerem-me muito ter-lhes aprumado a elegância das cornucópias recortadas.
De seguida, com um gesto largo, atirei ao ar uma mão cheia de sementes e outra de bolbos e raízes. Quis o acaso, que se juntasse, no mesmo canteiro, uma Margarida e um Delfim, entre quem nasceu um amor-perfeito, levando-os a unir as suas vidas num casamento de sonho; ele, muito direito e elegante, num fato completo de campânulas azuis, ela, vestida de longas pétalas brancas e brincos-de-princesa, herança da sua avó.
Pois foi o bastante para que, na Primavera seguinte, do negrume do seu farto útero, húmido de desejo para ser fecundado, nascessem Dálias e Rosas, Jasmins e Loendros, cuja vida e profusão de aromas e cores, não permito a mais ninguém desfrutar.
Tudo, porque hoje, este é o meu pequeno e secreto esconderijo de pensamentos etéreos e tranquilos, fluídos enquanto escuto o ralhar sereno dos mais velhos, a acalmar o ímpeto dos mais novos, teimosos em esticar hastes e ramos ainda tão tenros.

Dizem que é apenas o vento a restolhar as folhas, mas eu é que sei.

4 comentários:

Kristal disse...

Gostei,gostei muito de tudo,do cantinho azul e do texto que rescende a romantismo que não sei onde possa ir buscar-se nestes tempos e ocasiões.Em todo o caso,a mim trouxe-me um momento de paz e esqueci que até no mundo vegetal há tiranos que se instalam nos mais ingénuos e lhes sugam a seiva só para não terem trabalho e engordarem facilmente.Abraço

salvoconduto disse...

Nesse cantinho só falta mesmo uma espreguiçadeira e uma grade de mines. Se assim fosse até eu regava as plantas.

Rosa dos Ventos disse...

Como regressei de férias um pouco zombie faço minhas as palavras da minha amiga Kristal, ela não leva a mal! :-))
Recanto delicioso....

Abraço

Filoxera disse...

A escrita sempre bela, e em perfeita combinação com a foto de um recanto onde apetece ficar...
Beijos.